Como funciona o seguro auto?

O seguro é um contrato em que o proprietário do veículo paga uma quantia – o prêmio – para que a seguradora corra um risco em seu lugar. Em caso de sinistro previstos no contrato a seguradora deverá indenizar o segurado. Mas o motorista também precisa assumir uma parte do risco: a franquia.

Como funciona a franquia?
Em caso de sinistro, a seguradora deverá indenizar o segurado, mas somente no valor que ultrapassar o valor da franquia contratada. Quanto menor for a franquia, maior será o preço do seguro (prêmio). O valor da franquia pode ser escolhido pelo cliente, as seguradoras geralmente oferecem dois tipos de franquia “normal” ou “reduzida”.

Tenha cobertura de terceiros (RFC)
Contratar a cobertura de terceiros é sempre importante. É o chamado seguro de Responsabilidade Civil Facultativa, que cobre danos que você possa causar à propriedade e lesões a terceiros, lhe protegendo e cobrindo prejuízos financeiros.

O que o seguro cobre?
Na chamada cobertura básica, o seguro auto cobre o casco do veículo, que inclui chassi, carroceria, motor e caixa. As demais coberturas não são obrigatórias, mas você pode contratar à parte: cobertura de quebra de vidros; danos materiais de terceiros, lesões em terceiros; responsabilidades civis, lucros cessantes, acessórios instalados, higienização em caso de alagamento, entre outras.

O que o seguro não cobre?

  • Sinistros em tumultos e outras perturbações de ordem pública.
  • Participações em competições, apostas e provas de velocidade.
  • Trânsito por estradas ou caminhos impedidos ou de areias fofas ou movediças.
  • Seguros realizados no Brasil não cobrem sinistros fora do território nacional. Mas você pode contratar uma extensão de perímetro para países da América do Sul.

Fique Atento
O DPVAT não cobre danos materiais. Ele é um seguro obrigatório que cobre morte, invalidez permanente e despesas médicas de envolvidos em acidente de trânsito. Sua cobertura máximo é de R$ 13.000,00 (caso de morte ou invalidez) e R$ 2.700,00 (em caso de despesas médicas e hospitalares).

Conheça alguns dos fatores que influenciam no valor e coberturas da apólice.

Descontos para bons motoristas: Segurados que não têm registro de sinistro no último ano recebem desconto na renovação.

Carro Novo X Carro Antigo: Quanto mais antigo for o carro, o seguro pode ficar mais caro. Pesquisas apontam que o consumidor tem mais cautela com um carro mais novo.

Mulheres tem maiores descontos: Mulheres têm mais benefícios que os homens. Pesquisas apontam que são mais prudentes.

Idade do condutor: A inexperiência no trânsito e a maior disposição para correr riscos acabam pesando no preço dos seguros feitos em nome de pessoas com idades de 18 a 25 anos.

Faça com que motoristas jovens sejam condutores eventuais: É melhor que ele seja um condutor eventual do veículo dos pais, utilizando-o no máximo 15% do tempo, do que fazer um seguro em seu nome. Mas não ultrapasse este limite! Em caso de sinistro, se a seguradora verificar que o condutor principal era o jovem e não um dos pais, a família pode perder o direito à indenização.

Alarmes e rastreadores: Geralmente as seguradoras concedem descontos para quem tem alarme ou rastreador no veículo.

Estacionamento sempre: Estacionar sempre em garagem ou estacionamento, na sua residência e no seu trabalho, reduz o preço do seguro.

Pesquise! É possível encontrar diferenças de preços significativas entre uma seguradora e outra.

Nunca minta para sua corretora! Repasse dados verdadeiros. Qualquer divergência, pode resultar em perda de direito ao seguro.

Tire todas suas dúvidas! Leia a sua proposta antes de assiná-la. Não fique com dúvidas e pergunte até esclarecer todas.

Seguro: só com corretor! Ele é o profissional indicado para lhe atender!

Ligue o alerta:
Respeite as leis de trânsito e ande na linha. Ao dirigir e sofrer sinistro estando alcoolizado, sob efeito de calmantes, drogas ou com documentação irregular, perde-se todos os direitos contratados no seguro auto.