Não fique parado! Aprenda a cuidar da sua bateria.

Fundamental para o funcionamento de qualquer veículo automotivo, a bateria é um item essencial para o seu carro. Dessa forma, é muito importante que você tenha um cuidado especial com ela.

Quais tipos de baterias automotivas existem?
São dois tipos de bateria: a selada (conhecida como “sem manutenção”), e a não-selada (exige manutenção). A não-selada necessita constante verificação do nível da água contida na bateria. A água usada para manutenção deste tipo de bateria deve ser desmineralizada (destilada).

Quanto tempo dura uma bateria?
A regra geral é que a bateria dure 3 a 4 anos em média. Porém o uso do carro vai influenciar na duração da bateria:
• Se você usa elementos alimentados por bateria com muita frequência (por exemplo: faróis e som), a bateria tende a durar menos;
• Se você usa muito pouco o carro (somente nos finais de semana, por exemplo), a bateria tende a durar menos, porque deve ser recarregada com frequência;
• Se a bateria não for do tipo selada, o uso de água imprópria vai fazer a bateria durar menos.

Troca da bateria:
Antes de trocar sua bateria, verifique se seu carro possui alarme ou aparelho de som codificados. Se você tirar a bateria, vai precisar dos códigos para reativar esses dispositivos. Se você não conhece esses códigos, a troca deve ser feita por pessoal especializado. É bom lembrar que as informações de computador de bordo (caso seu carro possua) também podem se perder na troca.

Posso trocar a bateria original por outra “mais forte”?
Você pode trocar a bateria do seu carro por outra de amperagem maior. Isso vai dar uma performance maior nos itens elétricos do veículo (a ignição vai ser mais rápida, o alarme vai soar mais alto, os faróis vão iluminar mais, etc.). No entanto, a troca de bateria por outra diferente requer também que seja trocado o alternador, o qual deve ser compatível com a bateria nova.

O que é sobrecarga na bateria?
A sobrecarga na bateria é o excesso de corrente elétrica enviada para a bateria, causada através de carga excessiva após o estado de carga completa. A recarga da bateria no veículo é feita por uma peça chamada alternador. Em geral a sobrecarga é causada por curto-circuito, alternador impróprio ou danificado. A sobrecarga danifica a bateria, em geral, de maneira irreversível.

Dicas para sua bateria durar mais:
• Mantenha os terminais da bateria sempre em bom estado e bem apertados.
• Antes de dar partida (ignição) verifique se todos os dispositivos elétricos estão desligados (faróis, som, ar condicionado, etc.).
• Se o seu carro ficar parado por muito tempo, dê ignição e deixe-o funcionar em ponto morto por 5 minutos. Repita o processo pelo menos uma vez por semana.
• Não deixe luzes e som ligados por muito tempo com o veículo desligado.
• Se o veículo possui vidros elétricos, evite acioná-los com o veículo desligado.

Bateria velha:
Não guarde baterias velhas em casa. Elas contêm um ácido corrosivo que pode vazar e danificar o local, além de representar um perigo à sua saúde.
Por conter ácido, chumbo e plásticos, entre outros componentes, as baterias velhas não podem ser jogadas no lixo. Leve sua bateria velha ao revendedor, ele está autorizado a recolher e encaminhá-la para reciclagem.

Bateria arriada “Chupeta”:
Se sua bateria “arriou”, isto é, descarregou totalmente por algum motivo conhecido (o carro ficou a noite toda com as luzes ligadas, por exemplo), você pode dar ignição usando o recurso da “chupeta” (transferência de carga de outro veículo). Para isso você deve usar um par de cabos apropriados. Se você não tem esse par de cabos, é aconselhável adquirir, um dia você vai precisar.
Por questão de segurança, comece conectando o cabo vermelho primeiro (positivo, g.1) e em seguida conecte o cabo preto (negativo, g. 2). Feita a ”chupeta”, retire os cabos na ordem inversa: primeiro o preto (negativo) e em seguida o vermelho (positivo). Rode com o carro por 10 minutos, tempo suficiente para recarregar a bateria.

Tome cuidado máximo para não conectar polos errados (cabo vermelho no polo negativo ou cabo preto no polo positivo), pois se isso acontecer vai danificar os dois veículos.
Não faça o carro pegar “no tranco” (empurrando) – esse recurso pode gerar problemas no veículo.